Por que o Community Manager é importante para a sua comunidade?

As comunidades corporativas têm se tornado tendência, mas a criação de uma plataforma única para a empresa pode não ser a única medida satisfatória – e sim, apenas o início do trabalho.

Segundo a CMS Wire, toda comunidade deve ter um propósito claro, já que criar uma rede social sem planejamento e objetivos definidos pode decretar seu fracasso antes de seu nascimento. A publicação aponta também que ter um grande número de usuários não é sinônimo de sucesso, pois, muitas vezes os resultados efetivos vêm de um pequeno grupo de usuários atuantes. E é nesse momento que fica evidente a necessidade de uma estratégia de engajamento e o acompanhamento de perto por meio dos indicadores – que também foram estabelecidos no momento do planejamento estratégico.

Para assegurar que a estratégia seja cumprida constantemente, entra em cena o Community Manager, profissional essencial para garantir o sucesso da comunidade. Ele será a pessoa sempre disponível para responder às questões de seus clientes, resgatar a conversa com os usuários menos ativos, além de criar e incentivar conteúdos de valor na comunidade que esteja relacionado à sua marca e aos seus produtos e de analisar de perto as métricas da comunidade para garantir sua saúde – e essa é a diferença crucial entre Marketing nas Mídias Sociais e Gerenciamento de Comunidades, como apontou o colunista da Forbes, Jayson DeMers (Why Community Management Is Different From Social Media Marketing – Forbes ).

O sucesso de uma comunidade não é instantâneo: é necessário tempo e investimento da equipe dedicada e dos membros para que ela ganhe vida, estabeleça uma base de conteúdos relevantes e relacionamentos para assim tornar-se autossuficiente. Uma das grandes dificuldades dos estrategistas digitais é fazer com que os executivos das empresas, acostumados a resultados financeiros tangíveis, vejam a importância deste tipo investimento, e seu retorno a longo prazo. Uma comunidade online pode reduzir significativamente os custos de suporte ao usuário, o tempo de implementação de novas tecnologias e/ou políticas, além de criar uma maior identificação do cliente com a marca, algo que pode proporcionar uma remodelagem da estrutura de suporte e aumentar o conhecimento da empresa por parte dos clientes. Em qualquer um desses casos, o Community Manager é o profissional que intermedia as conversas, auxilia os usuários e direciona o esforço para os objetivos da empresa naquele ambiente.

Com os serviços e ferramentas iCustomer, você tem assistência em todos as etapas desse processo – e aumenta suas chances de construir uma comunidade saudável e ativa.

Funcionalidade de Agendamento de Postagens

crm-erp-dim

Já pensou no tempo que você pode economizar agendando suas postagens?

Em vez de seguir o velho caminho – entrar na sua rede social minutos antes do que você considera ser o melhor horário de postagem, escrever o conteúdo, procurar a foto numa pasta, revisar e postar – é muito mais eficiente você poder programar os posts com antecedência. Com essa funcionalidade da ferramenta iCustomer você consegue visualizar melhor o que acontecerá nas suas redes sociais e integrá-las mais efetivamente com sua estratégia de marketing, além de ter tempo hábil para rever o conteúdo e acertá-lo conforme necessário.

De acordo com diversas análises de mercado, há horários de maior movimento em cada rede social e, ao escolher corretamente, seu post tem mais chances de sucesso e viralização. Por exemplo, no Facebook e no Twitter há queda nas postagens durante o final de semana, mas voltam a subir na segunda-feira e têm seu auge entre a quarta e a quinta. Deixar as publicações agendadas de antemão garantem que seu post será publicado no melhor horário sem depender da ação humana e longe de riscos de falha no sistema.

Praticidade é a palavra de ordem, já que nossa ferramenta não depende de feriado ou dia útil para funcionar, nem não tira folgas. O serviço confirma as tendências de mercado de aumento de investimento dos executivos em comunicação digital, já que a área tem se mostrado como uma das mais efetivas nas estratégias de comunicação e marketing. E, uma vez que a presença do consumidor está cada vez maior nas redes, o aporte se mostra acertado.

A eficiência de uma estratégia de marketing coesa e assertiva nas redes sociais passa pela reeducação dos profissionais de marketing. Os canais digitais não devem mais ser tratados com descaso como muitas empresas ainda fazem. Aquela que deseja ter uma real presença online e não ser só mais uma página na rede deve dar a atenção devida a esses canais, além de adquirir as melhores ferramentas do mercado para se destacar. O agendamento de posts da iCustomer são o parceiro das suas estratégias de sucesso e destacam seus canais sociais através de planejamento antecipado e revisão das melhores formas de comunicação com o público desejado.

Por que engajar seus funcionários?

Se sua empresa possui uma estratégia digital, você já conhece diversas técnicas para engajar seus clientes. ‘Engajar’ significa ocupar, atrair ou envolver o interesse ou a atenção, a participação ou o envolvimento de alguém. Mas como aplicar as mesmas técnicas com seus funcionários, para que criem valores para a empresa?

 

A pesquisa de 2013 da Gallup’s State of the Global Workplace apontou que apenas 13% dos funcionários se sentem engajados no ambiente de trabalho. Nos Estados Unidos, onde a taxa beira os 30%, o percentual de funcionários que não se envolve custa à economia entre US$450 e US$ 550 bilhões anuais. Um relatório da McKinsey de 2012 apontou que entre US$ 900 mi e US$1,3 bi serão lucrados anualmente por meio do uso de tecnologias sociais.

 

Como reverter esse cenário de “prejuízo” previsto pela Gallup e engajar seus funcionários? Seja com um lema tocante ou a possibilidade de mudar a vida dos clientes, é necessário entender os valores que seus funcionários querem compartilhar com o mundo, e a partir daí, traçar estratégias que trarão benefícios a todos e favoreçam a colaboração entre os funcionários, não importa a hierarquia.

 

A melhor maneira de proporcionar essa troca? Uma comunidade interna onde não haja barreiras hierárquicas, além de ferramentas que conectem as pessoas e possibilitem a colaboração e a comunicação. Conheça nossas soluções.

Qual é a diferença entre Social Media e Social Business?

A popularização da tecnologia, principalmente smartphones e outros dispositivos móveis, permitiu que cidadãos se tornassem usuários, conectados à internet e participando das redes sociais digitais. Com o aumento do número de pessoas conectadas, também cresce a quantidade de usuários ativos nos principais sites de redes sociais, como Facebook e Instagram. Em 2014, de acordo com a pesquisa F/Radar, da F/Nazca, já éramos 93 milhões de brasileiros conectados, e outro levantamento, da ‘Global WebIndex’, o Brasil tem a segunda maior população de usuários de redes sociais da América, com uma penetração de 34% da população.

O marketing nas mídias sociais é importante – e o relatório da Deloitte demonstrando o impacto econômico do Facebook apenas reforça esse argumento; no Brasil, os números chegam a US$ 10 bilhões anuais e mais de 230 mil empregos diretos. Para isso, é crucial que a empresa tenha uma estratégia sólida e diversificada, para atingir diversos canais utilizando várias linguagens. Em um mercado que já satura de ‘analistas de mídias sociais’, é necessário inovar – e aí entra em cena o processo interno de tornar tudo social, a adoção do Social Business.

Mas como tornar-se uma empresa social? Fazer social business inclui processos para derrubar as barreiras entre clientes, stakeholders e as empresas e seus funcionários – unindo todos em um relacionamento benéfico, pois aumenta a produtividade, diminui o tempo de resposta ao cliente, entre outros pontos. Um relatório da McKinsey de 2012 apontou que entre US$ 900 mi e US$1,3 bi serão lucrados por meio do uso de tecnologias sociais.

O ponto inicial é adotar uma plataforma de colaboração, para conectar seus funcionários – assim eles conseguem colaborar entre os departamentos da empresa, trocar informações e encontrar ajuda de especialistas mais rapidamente. Nesse cenário, a inovação é apenas um dos produtos oriundos da colaboração e do engajamento entre funcionários e clientes.

Para saber a melhor maneira de implementar a inovação e a colaboração na sua empresa, conheça as ferramentas iCustomer, que auxiliam sua empresa a adotar o modelo social de negócios.

A importância dos aplicativos móveis no relacionamento com clientes

banner social networks

Atualmente, quase metade da população mundial possui um dispositivo de comunicação. No continente americano estão 17% dos usuários de smartphones e tablets.

O número de usuários de redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter continua crescendo – assim como o número de conexões via aplicativos móveis. Em 2014, o Twitter registrou um aumento de 25% na base de usuários; o Instagram atingiu, em 2014, a marca de 300 milhões de usuários ativos; o Whatsapp, 700 milhões de usuários; o LinkedIn contabilizou aumento de 56% na receita publicitária, com cinco mil marcas, e um aumento de 25% nos usuários apenas no último trimestre.

De acordo com relatório da ‘Global WebIndex’, o Brasil tem a segunda maior rede de usuários da América, com uma penetração de 53% da população. Analisando apenas os números de usuários ativos nas mídias sociais por meio de dispositivos móveis, continuamos em segundo lugar, com 34% de adoção. Os dados nacionais apontam para o uso de smartphones e tablets para acesso às mídias sociais em 77% dos casos.

Se os usuários estão “móveis”, porque as empresas não deveriam estar? O colunista Nelson Sanu, do Social Media Week, aponta para a necessidade de alinhar estratégias à conexão constante dos usuários em seus smartphones, já que os usuários gastam cada vez mais tempo do dia utilizando dispositivos móveis.

O Facebook já é um aplicativo que utiliza a maior quantidade de dados da rede 3G no país. Segundo levantamento da Ericsson, cerca de 30% de todas as transmissões de dados no país é oriundo da rede social de Mark Zuckerberg.

Um levantamento feito anualmente pela F/Nazca, em parceria com o Instituto Datafolha, reafirma os hábitos de conexão do brasileiro: já são 43 milhões de pessoas conectadas, e 70% desses usuários utilizam um smartphone ou tablet; para 51%, sites como Facebook, Google+, Instagram e Twitter contribuem para a mudança de opinião a respeito de algum problema coletivo; 1 em cada 4 brasileiros costuma dar opinião na internet sobre produtos comprados – as redes sociais são a principal arena de críticas e elogios.

Se os seus clientes passam mais tempo conectados em dispositivos móveis e utilizam a internet para consultar não apenas preços, mas a opinião sobre produtos, você precisa pensar em uma estratégia de proximidade. A solução? Desenvolver aplicativos personalizados para o atendimento de seus clientes. Consulte os serviços iCustomer de aplicativos móveis customizados!